Nota de solidariedade e pedido de paz

Nós da Abá e.V. condenamos a invasão da Rússia à Ucrânia, em desrespeito ao Direito Internacional e à Carta das Nações Unidas. Nós estamos comprometidos com o respeito aos direitos humanos e com o suporte aos refugiados. Neste momento difícil, atentos ao desenvolvimento do conflito, prestamos solidariedade ao povo ucraniano.

No Brasil, também nos solidarizamos com o povo Guarani-Kaiowá em razão da violenta ação da Polícia Militar do Mato Grosso do Sul na madrugada do sábado (26). Sem mandado judicial, a polícia expulsou indígenas que haviam retomado a fazenda “Inho”, parte de seu território ancestral de Laranjeira Nhanderu, no município de Rio Brilhante (MS).


Segundo o CIMI (Conselho Indigenista Missionário), políticos e agentes de sindicatos rurais pretendem estabelecer um assentamento rural na propriedade. Mas a área está incluída em um estudo antropológico que orienta a demarcação do território indígena, atualmente aguardando decisão judicial.
O conflito de terras no Estado do Mato Grosso do Sul é um processo complexo que se avança por várias décadas. Nós entendemos que a garantia dos territórios tradicionais dos povos indígenas é uma parte fundamental para solução do conflito agrário na região. Além disso, é peça-chave para a preservação da fauna e flora, proteção da água e das formas de vida tradicionais dos povos indígenas.


A Abá e.V. atualmente desenvolve o projeto “Wasser fürs Lebens”, que busca a melhoria do acesso à água e recuperação de ervas e plantas tradicionais para nove tekohas de Guarani-Kaiowá na região.

Para mais informações, entre em contato conosco: international@aba-ev.org

Para fazer uma doação, veja nossa página https://aba-ev.org/spenden/.